Casulas da JMJ para igrejas jovens

Fabiano Fachini 09 ago 2010 0

A empresa espanhola Talleres de Arte Granda confeccionará os paramentos litúrgicos para as principais celebrações da JMJ

Os teares já estão a funcionar para revestir 10000 sacerdotes e 1000 bispos previstos para a concelebração dos principais actos litúrgicos da Jornada. A um ano da celebração da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) já começaram a tecer-se os materiais para as cerimónias centrais do acontecimento.

Num atelier perto de Madrid preparam-se para confeccionar as casulas que revestirão os sacerdotes nas missas principais que se celebrarão durante a JMJ: a de boas vindas que será celebrada no primeiro dia na praça de Cibeles e a missa de encerramento que terá lugar no último dia em Cuatro Vientos, presidida pelo Santo Padre.

Javier Cremades, director do departamento de Actos Centrais da JMJ, ressalta a importância dos paramentos nas celebrações litúrgicas: “Queremos preparar esses actos com o maior esmero que sejamos capazes”. Nestas casulas “conjuga-se a qualidade necessária para a dignidade da cerimónia com a beleza do desenho”.

A empresa que vai realizar este trabalho é Talleres de Arte Granda depois de ganhar o concurso para o qual foram convocadas sete das paramentarias mais importantes da Europa. Na proposta inicial foram convocadas as espanholas Talleres de Arte Granda, Manantial, Belloso e Santa Rufina, a belga Slabbinck, e as italianas Euroclero e Barbiconi. A proposta dos Talleres de Arte Granda foi a vencedora depois de analisados três pontos de referência de cada oferta: desenho, preço e serviços antes e durante a Jornada. O custo da produção destes materiais será pago com donativos particulares.

Utilizar-se-ão 38 kilometros de pano, tecido em Valência, que será cortado e terminado no atelier Los Rosales, que Arte Granda tem na localidade madrilena de Villaviciosa de Odón.

“O logotipo das JMJ de Madrid é o ponto de partida do desenho das casulas”, explica Pilar Romero, directora técnica do atelier Los Rosales e desenhadora das casulas. Estas são brancas e tecidas contrastando brilhantes e foscos para destacar o motivo da Jornada como desenho de fundo. Na parte central do revestimento dos sacerdotes – que também receberão uma estola – apresentam-se três cruzes próprias do logótipo da JMJ. O motivo central das casulas dos bispos varia ligeiramente ao adoptar, para alem das três cruzes, um fundo com as cores do logótipo da Jornada. Os bispos receberão também uma mitra a condizer com a casula e uma alva.

A selecção dos materiais foi feita com critérios de qualidade sem descuidar os aspectos práticos ao ser leve e fresco, por causa das altas temperaturas que se esperam para a terceira semana de Agosto de 2011.

Depois da celebração da JMJ as mais de 10000 casulas destinam-se a igrejas jovens de todo o mundo, de tal maneira que o fim para que foram feitas – dignificar a liturgia – se perpetue em dioceses e igrejas de recente criação e com poucos recursos materiais. Cremades ressalta que “gostaríamos que fossem uma catequese de adoração e amor a Deus que chegue a todos os cantos do mundo”. Continua-se assim a tradição de outras JMJ, cujas casulas se continuam a usar nos cinco continentes.

Comentários via Facebook:

Deixar uma resposta »